BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

segunda-feira, 23 de abril de 2018

ENXERGANDO A CONTAMINAÇÃO

     Os sindicatos já prestaram as obrigações a que estavam sujeitos nas décadas de 70,80,90 e na primeira década do século XXI. Encheram as burras com os fatídicos impostos sindicais, hoje quase acabados. A fonte secou e o grande incentivador está preso.
      Este preâmbulo para dizer que por mais de 50 anos as relações de trabalho no Brasil estavam atreladas às negociações salariais entre empresas X sindicatos. Hoje, a situação mudou completamente e novos empregos estarão sujeitos a uma relação de trabalho, com leis novas que privilegiem a relação trabalhador X patrão, com acordos de trabalho.
      Mas o ranço sindical ainda perdura. O sindicalista Lula foi abrigar-se num sindicato, antes de entregar-se à justiça.
Este mesmo braço sindical está inserido nas eleições da PREVI. Uma diretoria já é deles. Agora desejam as outras duas, para, reinarem integralmente dentro do nosso fundo. Por isso, todo o cuidado com a chapa 2, são lobos travestidos de cordeiros. As eleições no Brasil parecem seguir o mesmo caminho sujo, seja ela para qualquer finalidade, política ou em órgãos que rendam ótimos cargos e salários. Está tudo contaminado!!!
      Há rumores que a chapa 5 recebe ajuda da chapa 2 no intuito de servir a esta no assim chamado "voto útil", ou seja, tirar votos da chapa 1 - Mais União, a ÚNICA independente.
Devemos nos focar nos aposentados e pensionistas. São os únicos que podem livrar a PREVI destes aproveitadores que não querem o bem dos aposentados mas locupletarem-se dos cargos e dos penduricalhos.
      Olho vivo, pessoal. Nosso fundo precisa ser descontaminado. Precisamos vencer os vírus que não deixam o fundo crescer. Daremos o nosso voto de confiança a Ítalo Lazzarotto Júnior na Administração; e a Arnaldo Vollet no Planejamento. Se você conhece um amigo ou parente aposentado, ou pensionista, ou familiares que possam influenciá-los a votar, não perca tempo. Incentivem-nos a derrotar a famigerada chapa 2, a terrível. Uma coisa que não falta a esta chapa são recursos e a logística de grandes associações e sindicatos.
      Comece a semana motivado. O percentual de votação entre os aposentados e pensionistas está em 20,4%. Vamos fazer chegar nos 50%. Se tal ocorrer, a Chapa 1 - Mais União na PREVI, estará com as duas mãos no pódio. Força aposentados!!! Força pensionistas!!!
Chapa 1 na cabeça! E vamos que vamos!!!

CHAPA UM - MAIS UNIÃO - A ÚNICA INDEPENDENTE!!! VOTEM NESSA!!!










sábado, 21 de abril de 2018

VOTE NUMBER ONE

     A número Um - Mais União na PREVI - é disparada a melhor. Vote na número um. O percentual de votantes até ontem, dia 20, entre aposentados e pensionistas, é de 20 por cento.
Considerando os três primeiros dias úteis de votação (de um total de nove), penso que o percentual esteja razoável posto que a meta é de 50%, ou seja, metade dos 117 mil, correspondente a 58.500 pessoas , as quais terão, majoritariamente, preferência pela Chapa 1. Destas 58.500 vou dar uma "quebra" de 8.500, então, o número mágico, além do UM, é 50 mil amadas pessoas. Deste montante, eu atribuo à Chapa 1 um percentual de 60% (por baixo, podendo ser maior). Ora, com 30.000 votos já é possível vencer uma eleição na PREVI. Lembrem-se que em 2016 venceu quem fez 27 mil e poucos votos. Neste ano de 2018, levando-se em consideração a eleição na CASSI, teremos um avivamento dos votos que tradicionalmente são dados pelos aposentados e pensionistas, quase que dobrando este percentual. Ora, não precisa ser nenhum matemático de renome para deduzir o produto final.
      As reações agonizantes da chapa 2, a chapa da CUT e da grande cúpula de associações vintenárias, é mostra clara que o desespero bateu por lá. Fazer o que, não é Riede?
      Para finalizar, quero entoar loas a um amigo bem acima da média, o nobre Doutor Medeiros. Que postagem certeira "AGORA É COM VOCÊ, VOTE NA UM"! Medeiros, obra-prima Mestre! Se eu falasse a linguagem de Trump, eu diria com pulmões cheios: "C-o-n-g-r-a-t-u-l-a-t-i-o-n-s!!!"




LINK PARA ACOMPANHAR OS NÚMEROS DA ELEIÇÃO:

http://www.previ.com.br/a-previ/eleicoes/

sexta-feira, 20 de abril de 2018

UM EXÉRCITO DE CENTO E DEZESSETE MIL

    Se existe uma chapa que nivela a eleição na PREVI por baixo, esta é a chapa dois. Que chapa abjeta! De seus quadros quatro quintos são sindicalistas, dos quais o mínimo que se pode dizer é que não são afeitos ao trabalho. São pessoas à caça de cargos bem remunerados e com diversos penduricalhos extras. São pessoas que não medem esforços para denegrir os outros, evidentemente, se tal lhes trouxerem proveito próprio. São sempre cheios de si e ninguém melhor do que eles (segundo eles mesmos) são melhores do que eles. São os fariseus, no linguajar de Jesus, que não entram e tampouco deixam os outros entrarem.
     Mas contra esse veneno temos um exército de 117.193 pessoas do bem, entre aposentados e pensionistas. Se conseguirmos fazer com que 40% desta valiosa multidão vote teremos 45.000 preciosos votos suficientes para derrubarmos a odiosa chapa mencionada no primeiro parágrafo. Hoje, dia 20, o aposentado vai às agências do BB para "conversar" com o TAA. Que cada um deles deposite seu voto de protesto pela continuidade do que estamos vivendo. É a mesma chapa defendida pela atual diretoria de Seguridade que maltrata os aposentados, sonegando-lhes o crédito de um simples empréstimo que é bom para o fundo e para todos nós. Diga não à diretoria de Seguridade votando na chapa que apresenta os melhores quadros para os cargos de diretores em disputa. Não há entre os candidatos de todas as chapas melhor que Ítalo Lazzarotto Júnior e o nota dez Arnaldo Vollet. Seguramente, ambos irão dar um choque de gestão em nosso fundo.
     Dos 45.000 votos esperados, eu calculo que a chapa 1 deva embolsar 30.000. Do pessoal da ativa (84.336) eu espero 10.000 sufrágios, que nos daria uma vitória retumbante. Contudo, o maior deleite é esmagar a cabeça da serpente (chapa 2), ou melhor, o estancamento da continuidade na falta de compromisso com o aposentado. Estou crente que vamos conseguir nosso objetivo. Com a sua ajuda, caro eleitor! Este país tem jeito. Vamos arrumando as peças, aqui e acolá para, em outubro, escolhermos a decisão final, a tacada definitiva, a base para uma nova sociedade, onde impere a justiça social, a soberania nacional e a pujança de um país livre das travas de um STF, de um PT, de um PSDB e de um MDB. Que assim seja! Mais "Moros" e menos "Mellos".



quarta-feira, 18 de abril de 2018

PRIMEIRO DIA DE VOTAÇÃO

   


    Começa hoje uma das mais renhidas eleições dentro do nosso fundo de pensão. Velhos e conhecidos personagens estão na disputa querendo continuar ganhando ou usufruindo das benesses de nosso fundo, que pouco se assemelha a um fundo de pensão pelas mordomias de recebimento de penduricalhos extras, como remuneração variável, participação em conselhos de participadas. O propósito da Chapa 1 (a que nós indicamos para votar) é recusar desde o início a remuneração variável e cortar toda e qualquer remuneração cumulativa. O propósito se estende na melhoria da qualidade dos nossos ativos. Não podemos continuar como hoje, dependendo do bom humor da bolsa na renda variável. O Arnaldo Vollet é muito bem preparado para a DIPLA, a diretoria mais estratégica do nosso fundo.
     Portanto, a Chapa 1 quer dar um choque de produtividade na PREVI, cortando o que é supérfluo e qualificando melhor nossos ativos. Trabalho árduo mas que dará bons resultados. E se o trem entrar nos trilhos, pouco a pouco, poderemos deixar de contribuir e melhorar nossas condições de associados, sob uma transparência que hoje não existe. Vamos todos cravar o nosso voto na chapa 1 - Mais União. É nessa que vai nascer o verdadeiro choque de gestão.


segunda-feira, 16 de abril de 2018

O VOTO DE VINTE MIL PENSIONISTAS

 Marcelo Odebrecht diz à PGR que Guido Mantega sabia de propina em negócio com a PREVI. 
https://oglobo.globo.com/brasil/marcelo-odebrecht-diz-pgr-que-guido-mantega-sabia-de-propina-em-negocio-com-previ-22477102 
...........................................................................
 

--------------------------------------------------------
   A diferença arrasadora que perturba quem está distante delas; mas é a alegria daqueles que tem a felicidade de tê-las no apoio do precioso voto...São mais de 20.000 votos, o suficiente para abrir o caminho para a vitória. É sobre este enorme contingente valioso que nós, seguidores da Chapa 1 - Mais União na PREVI, devemos focar nesta semana inicial de votação.
       Por esta razão, todo simpatizante da Chapa 1 - Mais União deve empenhar-se em convencer pelo menos uma pensionista, em sua cidade ou região. Em Joinville conheço mais de 20 que irão engrossar nossas fileiras. Procure nos grupos sociais, Facebook e Whatsapp, pensionistas que você conheça e vamos ao "corpo a corpo". Este contingente não pôde votar na CASSI e agora deve fazer toda a diferença! Força apoiadores da Chapa 1!
      Por outro lado, é um fator negativo para a chapa da Contraf-Cut, a fatídica chapa 2 que deseja perpetuar-se na PREVI. É nosso ponto de honra abatê-la, nocauteá-la, surrá-la. E pouquíssimas pensionistas, para não dizer nenhuma, apoiarão esta chapa 2 caçadora de cargos.
       Então, vamos de um por todos e todos por um! A vitória começa depois de amanhã!

sexta-feira, 13 de abril de 2018

ANTECIPANDO O DIA TRINTA

      O quadro acima serve de parâmetro para o meu raciocínio lógico na antecipação, via previsão intuitiva, do resultado da eleição que será conhecida oficialmente no pôr do sol do dia 30 de abril de 2018.
       No quadro acima (2016) a chapa 3 conquistou a reeleição do atual diretor de Seguridade com 27.201 votos. Desta vez (2018) esta chapa da continuidade é representada pela chapa 2, que pelo meu vaticínio continuará na faixa dos 27 mil votos (não haverá acréscimos). É o famoso prognóstico "já deu o que tinha que dar". Talvez nem em segundo lugar chegue.
         No mesmo quadro a atual Chapa 1 "Mais União na PREVI está englobando a mesma chapa 1 com a chapa 5 (que foi a Semente da União). Na minha modesta previsão a Mais União fará a soma das duas (23.542 + 16.300 = 39.842). Otimismo exagerado? Não. Realismo puro.
        Para um perfeito racionalismo, vamos à recente eleição da CASSI: Houve um crescimento fenomenal entre os aposentados, que eu chamo de avivamento. Em 2016 votaram em torno de 25% deles. Já na CASSI, a nossa votação foi de quase 50%. Vale lembrar que o crescimento é somente entre nós, aposentados, que desta feita recebem as estimadas pensionistas.
        As demais chapas não têm chances. A última, por exemplo, terá o mesmo desempenho da chapa 4 de 2016, ou seja, menos de 5 mil sufrágios. Confrontem no dia 30 com os prognósticos de agora e verifiquem quem mais se aproximou da realidade.
Tenham todos os nobres aposentados e pensionistas um ótimo final de semana!


quarta-feira, 11 de abril de 2018

CHAPA UM EM JOINVILLE

    Terça-feira agitada na maior cidade de Santa Catarina com a presença da chapa sensação do momento, a Mais União na PREVI, chapa 1 - a primeiríssima. Veio com o reforço do vencedor na CASSI, Luiz Satoru Ishiyama, de grande versatilidade sobre assuntos cruciais de nossas caixas. Presente o candidato a diretor de Administração Ítalo Lazzarotto Júnior que pertence ao Plano 2 - PREVI Futuro, pessoa altamente qualificada para o cargo, muito bem impressionou a todos os presentes às dependências da AABB-Joinville.
SATORU (À ESQUERDA) E ÍTALO LAZZAROTTO JÚNIOR (À DIREITA)

     Lazzarotto fez brilhante explanação da necessidade de corte de gastos no fundo, a exemplo do que faz hoje o BB donde comanda a Gerência de Controles Internos para a região sul do Brasil (GECOI). Disse que lutará contra os privilégios remuneratórios e as regalias, inclusive, os candidatos do Mais União, se eleitos, abrem mão do direito ao bônus variável (agora com o nome de remuneração variável) até que se regulamente a sua extinção. Na esteira da eficiência e austeridade eliminar por completo automóveis exclusivos com motoristas ou penduricalhos de qualquer espécie. Redução da taxa de carregamento.
        Quanto à governança, propor mecanismo de eleição independente para o Conselho Fiscal (não é prudente que colegas de chapas fiscalizem seus outros colegas das mesmas chapas eleitas) e uniformização dos meios de votação. Propor critérios rigorosos de formação de diretores e Conselheiros, segundo Ítalo Júnior, os indicados pelo Banco estão em patamares superiores aos eleitos. A única exceção será o Arnaldo Vollet (DIPLA) que se eleito estaria num patamar acima dos indicados, pelo seu vasto conhecimento técnico adquirido enquanto diretor da BBDTVM no BB. Vollet é reconhecido por todas as chapas como o melhor candidato (mais bem preparado) para a importante DIPLA que é uma diretoria estratégica e que pertence aos eleitos. Satoru teceu rasgados elogios ao Arnaldo (que não esteve presente) e também ao Lazzarotto que possui formação nos controles internos e "Compliance".
FOTO NO ALMOÇO, DA ESQUERDA PARA A DIREITA: ARI S. DOS SANTOS (AFABBJ), IVO RITZMANN (ANAPLAB), ÍTALO LAZZAROTTO JR (CANDIDATO À ADMINISTRAÇÃO NA PREVI), LUIZ SATORU ISHIYAMA (DIRETOR ELEITO NA CASSI), ARI ZANELLA (PRESIDENTE DA ANAPLAB), EDITH VICENZI, AURORA MARINA E MÍRIAM (TRIO TROPA DE CHOQUE DEFENSORAS DA MAIS UNIÃO)

     Por fim, a pretensão de uma gestão coordenada da taxa atuarial com as exigências do mercado. A ideia é processar mudanças na carteira de investimentos do perfil atual de concentração (mais de 80% dos nossos ativos em RV e nas participadas estão em 12 (doze) empresas somente.  A tendência é de pulverização. Para o PREVI Futuro a tarefa é revisar a política de investimentos, com novas opções nesta área. Outro fator é reduzir o tempo de carência para mudança de perfil de investimento.
           No que tange ao Empréstimo Simples o diretor do BB presente disse que está afeto à Seguridade. Nada impede, no entanto, que o assunto seja discutido em nível da governança, desde que o assunto venha à baila. (É preciso alguém pautar...) Então deverão ser processados novos estudos para conveniência de alteração de prazo e limite.
       Para concluir, a chapa um causou aos presentes uma ótima impressão, elementos super capacitados, realistas, com grande vontade de alterar o quadro presente no fundo notadamente melhorar sensivelmente o planejamento, a eficiência, a transparência, a governança e a política de investimentos. Agora teremos um candidato ao Planejamento e à Administração que realmente farão a diferença. Podem acreditar.
PLATEIA ATENTA, MULTIPLICADORES DA CHAPA UM MAIS UNIÃO NA PREVI. (Carlos Valentim Filho, o 2º da esquerda para a direita)